A FOLHA DO LITORAL

Após tapetão, grupo de Dr. Osvaldo segue unido para as eleições de 2016


HomePage

Na Capital da Vela, não é só dedicação e trabalho são levados em conta na corrida eleitoral de 2016

O comprometimento de Dr. Osvaldo, sua mulher, Dra. Rita e da vice-prefeita Nilce Signorini, foi ignorado pelo presidente do PTdoB, Daniel Marçal Vieira, que depois de reuniões e decisões junto ao grupo, sobre apoiar o candidato Márcio Tenório, do PMDB, optou, sem comunicar ninguém, mudar seu apoio.

Sem o partido, os três políticos, que foram prejudicados por esse esquema feito por debaixo dos panos, e que há tempo vinham trabalhando nos projetos partidários para as eleições de 2016, seguem suas vidas, mantendo sua palavra e apoiando Márcio Tenório.

Veja o bate papo que o jornal A Folha do Litoral teve com Dr.Osvaldo, Dra. Rita e Nilce Signorini.

Morador de Ilhabela desde 1980, Dr. Osvaldo iniciou sua história na cidade através da saúde. Trabalhou na Santa Casa de Misericórdia, atendeu em postos de saúde, foi plantonista no Hospital Mário Covas, entre outros lugares. Junto com Dra. Rita, Nilce Signorini e outros amigos, formou um grupo político, onde tem militado por 28 anos por Ilhabela.

Quando o senhor se filiou no PTdoB?
Em 2015, convidado pelo senhor Daniel Marçal Vieira.

O senhor desistiu de sair à vice-prefeito do candidato Márcio Tenório?
Não desisti de apoiar Márcio Tenório. Apenas deixei de fazer parte de sua chapa pelo fato de na véspera da nossa convenção, no dia 25 de julho, o presidente do PTdoB, ter ignorado o trabalho político que desenvolvemos à frente do partido, cerceando nosso direito de disputa nessa eleição mas, logo em seguida, coincidentemente assumiu a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, com a atual administração.

E como ficou sua situação agora na política?
Minha situação continua como a acordada em ata com os pré-candidatos do PTdoB, em reunião realizada no dia 02 de julho, que seria de apoio ao Márcio Tenório. Ao contrário do presidente do partido, senhor Daniel Marçal Vieira, que também confirmou seu apoio ao Márcio, na presença de pré-candidatos e seus familiares, mas não honrou com sua palavra junto ao seu ex grupo político.

Onde estará o Dr. Osvaldo nas eleições 2016?
Continuaremos nossa caminhada junto ao Márcio Tenório, uma caminhada transparente, para transformar a nossa cidade.

Nascida em Caraguatatuba, Dra. Rita é moradora de Ilhabela desde 1980. Em 1993, foi eleita a vereadora e, em 2013, assumiu seu quarto mandato na Câmara dos Vereadores da Ilha.

Quando a senhora se filiou ao PTdoB?
Em 2011 e, em 2012, fui eleita vereadora.

A senhora vai sair candidata nessa eleição?
Não. No dia 03 deste mês, estive na convenção do partido e embora eu tenha prioridade de legenda para concorrer à vereança, fui comunicada de que haviam somente três vagas a serem preenchidas de vereador, e meu nome não constava na lista dos escolhidos.

Se a senhora tinha prioridade, por qual motivo não fez parte da escolha dos candidatos?
Porque nosso grupo político optou por consenso e democraticamente em caminhar com Márcio Tenório.

Embora tenha vencido a maioria, apenas dois se posicionaram contra tal apoio, no dia 25, o partido virou de um só dono: Daniel Marçal, que o entregou para o PPS.

E como fica sua situação nas eleições 2016?
Não sou candidata a vereadora, vou trabalhar para eleger Márcio Tenório como foi decidido pelo grupo no inicio do mês de julho e continuar trabalhando por Ilhabela como faço há mais de 20 anos.

Vice prefeita de Ilhabela, Nilce Signorini foi diretora da escola Maria Gema, vereadora, presidente da Câmara dos Vereadores, Prefeita e há 39 anos mora na cidade.

A senhora tem uma grande história na política de Ilhabela, o que acha do que aconteceu com o seu partido nessa eleição?
É só verificar a nomeação do senhor Daniel Marçal Vieira, no dia 25 de julho, véspera da convenção do partido. Neste dia, ele deixou de atender nossas ligações, não conseguimos encontrá-lo.

Somente no período da noite, exatamente às 22h04, ele postou no grupo do Whatsapp a prorrogação da convenção, com o endereço para o local onde é o diretório do PPS. Acho que já fica subentendido, não?

Então vocês não sabiam que ele não iria mais apoiar o Márcio Tenório?
Não. Ele tomou decisões por conta própria. Ele não teve a hombridade de nos encarar e dizer que ele levaria o partido para o PPS da professora Lídia.

Mas Daniel é assim, ele tem dificuldades de conjugar o verbo na terceira pessoa.



                 

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários


Ainda não existem comentários para esta notícia.