A FOLHA DO LITORAL

Prefeitura de São Sebastião afirma que há apenas um caso suspeito de H1N1 na cidade


HomePage

Após boatos sobre surto da gripe H1N1 em São Sebastião, a assessoria de imprensa da prefeitura informa que há somente um caso de paciente em internação com SRAG – Síndrome Respiratória Aguda Grave com suspeita de contaminação pelo vírus influenza A. Ainda segundo a administração, independentemente do resultado, todo atendimento de saúde para manutenção e preservação das condições respiratórias da pessoa está sendo adotado.

"A Secretaria Municipal da Saúde repudia a veiculação de informações falsas sobre dados epidemiológicos e esclarece que nenhum óbito até agora foi confirmado pelo Laboratório Oficial, como sendo por contaminação pelo vírus influenza A - H1N1 e reforça o seu compromisso ético com os dados de saúde pública. Informações falsas geram pânico e histeria social e em nada contribuem para o aperfeiçoamento das ações de saúde", publicou a prefeitura.

De janeiro a março deste ano, foram notificados sete casos de SRAG - Síndrome Respiratória Aguda Grave, dos quais, quatro resultaram negativos,  um foi confirmado pelo critério clínico de Influenza não especificada ( que não pertence a nenhum tipo da influenza) e dois aguardam resultados, sendo um deles morador residente em Caraguatatuba. 

Diagnóstico laboratorial

A técnica de diagnóstico preconizada pela OMS – Organização Mundial da Saúde para confirmação laboratorial de Influenza A(H1N1) é o RT-PCR em tempo real. Somente pacientes internados ou pacientes que evoluem para óbito são notificados e as amostras de secreção respiratória de casos suspeitos para o diagnóstico de infecção pelo vírus de Influenza A(H1N1) deverá ser realizado no Laboratório de Referência - Instituto Adolfo Lutz (IAL-SP). Este laboratório faz parte da rede de laboratórios credenciados pela OMS.

Tratamento de casos graves 

O uso do Oseltamivir (TAMIFLU) no tratamento de casos suspeitos ou confirmados de Influenza A(H1N1) está indicado para pacientes com quadro clínico da forma grave da doença OU que apresentem fatores de risco para as suas complicações. A utilização do medicamento deve ser realizada em, no máximo, até 48 horas a partir da data de início dos sintomas.

Obs.: Definição de quadro clínico da forma grave: indivíduos de qualquer idade que apresentem doença respiratória aguda (início dos sintomas até 48h), com febre, seguida de tosse OU dor de garganta Edispneia, apresentando ou não manifestações gastrointestinais.

Vacinação

A vacina é capaz de promover imunidade efetiva e segura durante o período de circulação sazonal do vírus que este ano começou mais cedo. A vacinação na rede pública é feita anualmente para prevenir a doença. Em São Sebastião, a campanha de vacinação acontecerá de 30 de abril a 20 de maio. A vacina é indicada para crianças de seis meses a menores de 5 anos, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde (público e privado), indígenas, pessoas com doenças crônicas, grupos com 60 anos ou mais e população prisional.



     

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários


Ainda não existem comentários para esta notícia.