A FOLHA DO LITORAL

CUBATÃO INTENSIFICA AÇÕES CONTRA O MOSQUITO AEDES AEGYPTI


HomePage

Cidade registra 33 casos de dengue este ano 
 
A Secretaria de Saúde de Cubatão intensifica esta semana as ações contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A diretora do Departamento de Vigilância Ambiental à Saúde, Maria Adelaide Gonzalez, informou que 120 agentes de endemias e do Programa de Saúde da Família participam de mutirão de conscientização no Jardim Costa e Silva e Vila Elisabeth, desenvolvem ações educativas nas escolas e realizam palestras em igrejas e empresas.

Na tarde desta terça-feira (29), os educadores Fábio Ricardo e Elvis Gualdaberto promoveram palestra na indústria Vale Fertilizantes. Além de abordarem aspectos teóricos sobre o mosquito Aedes aegypti, também realizaram ações práticas na área da empresa. A partir das 20 horas, na Igreja Universal de Cubatão, Odymara Elaine conversará com os frequentadores do templo sobre como evitar a proliferação do inseto e as atitudes práticas que podem impedir sua proliferação.

Nesta quarta-feira (30), Fábio Ricardo e Elvis Gualdaberto conversam com funcionários da Vale Fertilizantes na Capital sobre como criar e manter atuante uma brigada contra o Aedes aegypti. O encontro está marcado para as 9h30.

Na quinta-feira (31), a ação dos educadores ocorre na Unidade Municipal de Ensino Estado de São Paulo, no Jardim Costa e Silva, em dois horários: às 9 e 13 horas. No mesmo dia, às 13h30, haverá nova ação na Vale Fertilizantes de Cubatão. E às 14 horas, Odymara Elaine Faya faz palestra para famílias no Centro de Referência e Assistência Social (Cras) Ilha Caraguatá.

Na sexta-feira (1º de abril), os educadores promovem ações envolvendo alunos matriculados na Unidade Municipal de Ensino (Ume) Estado Rio Grande do Sul, no Jardim das Indústrias, às 9 horas. Já a partir das 13h30, as ações ocorrem na Ume Estado de São Paulo. No mesmo horário está programada outra roda de conversa com os funcionários da Vale Fertilizantes.

O mutirão contra o mosquito nos bairros Jardim Costa e Silva e Vila Elizabeth ocorre sábado (2), das 8 às 14 horas.
Casos - De 1º de janeiro até esta terça-feira (29) foram confirmados 33 casos de dengue em Cubatão. Vila Esperança, com 7 registros; e Vila Natal, com 4, são os bairros que concentram o maior número de notificações confirmadas.

Outros núcleos com maior incidência de dengue são Vila Nova (3); Vila São José, Vila dos Pescadores, Parque São Luiz, Jardim Nova República e Água Fria (com 2 cada núcleo); Conjunto Afonso Schmidt, Ilha Bela, Jardim Anchieta, Jardim Costa e Silva, Jardim 31 de Março, Jardim São Francisco, Usina Henry Borden, Vale Verde e Vila Ponte Nova (1 em cada bairro).

Maria Adelaide Gonzalez informou que os 10 casos confirmados de chikungunya em Cubatão, este ano, são "importados": 3 procedentes de Surubim; 1 de Caruaru; 1 de Betânia; 2 de Recife; 1 de Lajedo; e 1 de São Lourenço da Mata (municípios de Pernambuco); e 1 de São José da Tapera (Alagoas).

Maria Adelaide frisou que as medidas de prevenção contra dengue, chikungunya e Zika são as mesmas. Deve ser evitado o acúmulo de água em locais como calhas d'água, lajes e outras áreas dentro da construção. "Os moradores também precisam monitorar as condições da caixa d'água e guardar materiais (baldes, brinquedos) sob área coberta, de forma que não acumulem água. Esses cuidados devem ser intensificados agora e mantidos no decorrer do ano todo".

Sintomas - Febre alta, acima de 38 graus, fraqueza e dores no corpo e nas juntas, são alguns dos sintomas que indicam possível contágio pela dengue. No caso de também ocorrerem sangramentos e suor intenso, pode ser a forma hemorrágica.

Já a febre chikungunya tem sintomas semelhantes aos da dengue, mas se caracteriza por atingir as articulações, com o vírus avançando nas juntas dos pacientes e causando inflamações com dores fortes, inchaço, vermelhidão e calor local. E a infecção pelo vírus Zika provoca febre baixa, olhos vermelhos sem secreção e sem coceira, dores em articulações, pontos brancos ou vermelhos na pele, dores musculares, de cabeça e nas costas. Os sinais e sintomas duram, em geral, de 2 a 7 dias.

Estrutura - Cubatão conta com 11 Unidades de Saúde da Família e 7 Unidades Básicas de Saúde. Para atendimento de urgência e emergência, tem uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e dois prontos-socorros, Central e Infantil, todos com profissionais e equipamentos necessários para o atendimento a casos de dengue, chikungunya e zika.



     

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários


Ainda não existem comentários para esta notícia.