A FOLHA DO LITORAL

Documentos obtidos pela Lava Jato citam Paulo Alexandre, Beto e Marcia


HomePage

Quatro políticos da Baixada Santista foram citados em documentos apreendidos pela Polícia Federal durante a Operação Lava Jato. Os papéis mostram supostos repasses da Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 partidos diferentes. Não é possível, porém, afirmar que se tratam de doações legais de campanha ou feitas por meio de caixa 2, já que os documentos não detalham se os valores, de fato, foram repassados e se foram pagos em forma de doação oficial.

Na região, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), prefeito de Santos, Marcia Rosa (PT), prefeita de Cubatão, Beto Mansur (PRB), deputado federal, e Sérgio Aquino, que foi candidato a prefeito de Santos pelo PMDB estão citados.

Segundo os dados das planilhas, Paulo Barbosa teria recebido R$ 600 mil no ano de 2012. Já Sérgio Aquino, é citado como beneficiário de R$ 800 mil, enquanto Beto Mansur teria direito a R$ 450 mil. A prefeita deCubatão, Marcia Rosa, teria recebido uma contribuição mais modesta, de apenas R$ 30 mil.

Nesta quarta-feira (23), depois de as planilhas terem sido divulgadas na imprensa, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância, determinou o sigilo sobre os documentos.

 

De acordo com as tabelas, os repasses foram feitos pela empreiteira para as campanhas municipais de 2012 e para as eleições de 2010 e de 2014. As planilhas foram apreendidas pela PF durante a 23ª fase da Operação Lava Jato, que teve como alvo principal o marqueteiro João Santana, que trabalhou em diversas campanhas do PT.A avaliação sobre a legalidade das supostas doações apontadas nas planilhas não constam dos documentos divulgados pelo Ministério Público.



                 

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários


Ainda não existem comentários para esta notícia.