A FOLHA DO LITORAL

Hospital de Caraguá e polícia investigam morte de bebê


HomePage

A morte de um bebê
prematuro de seis meses
durante o parto na Casa
de Saúde Stella Maris está
sendo investigado pela
polícia e pelo próprio hospital.
A família acusa o médico
de arrancar a cabeça
do bebê.
A moradora de Ilhabela,
Kawana Santos, de 24
anos, devido a uma gravidez
de risco, foi orientada,
após passar pelo hospital
local, a ir para o Stella Maris,
para um atendimento
especializado. Ela estava
grávida de uma menina.
Ela foi internada em
Caraguá no dia 28 de junho,
no sexto mês de gravidez.
Os familiares acusam
um médico do hospital de
tentar fazer parto normal,
no dia 29 de junho, apesar
de a criança estar em uma
posição desfavorável para
isso. A força feita pelo médico
fez com que a criança
fosse retirada sem a cabeça.
O pai, Diogo Felipe
Lopes, presenciou
a cena
A família acusa ainda o
hospital de ter enterrado
o bebê sem autorização
e que teria informado o
peso errado. No prontuário,
consta um peso de
440 gramas, o que caracterizaria
um caso de feto
natimorto.
Mas, após o registro da
ocorrência na Delegacia
de Polícia, foi feita exumação
do bebê e o IML constatou
um peso de pouco
mais de 600 gramas. A
criança foi enterrada em
Ilhabela, onde reside a família.
Outro lado
Por meio de nota, a
Casa de Saúde Stella Maris
informou que o caso
foi encaminhado para o
Conselho de Ética Médica
do hospital e que o médico
que fez o parto está
afastado até a conclusão
dos trabalhos. fonte Radar
Litoral
Foto: Luiz Gava/PMC



     

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários


Ainda não existem comentários para esta notícia.