A FOLHA DO LITORAL

Conheça mais o empresário Wagner Teixeira de São Sebastião


HomePage

Wagner Teixeira tem apenas
43 anos, recém completados, mas
pouca gente em São Sebastião reúne
tanta experiência política, tanta
bagagem de campanha eleitoral,
tantos anos de mandato na Câmara
Municipal, anos de experiência em
várias administrações.
Conversamos com ele no dia
de seu aniversário, na sua casa em
Boiçucanga, entre pintores que davam
um retoque na sala do sobrado
que fica de frente ao mar e, mais
importante para ele, de frente à obra
do Hospital da Costa Sul, a ‘menina
dos olhos’ de WT, como é chamado
pelos amigos.
Amigo aliás é a marca de Wagner,
que já fez campanha com o slogan
que resume a sua maior característica:
“Antes de tudo, um amigo”.
O telefone não pára de tocar,
gente cumprimentando o agora
pré-candidato à sucessão do prefeito
Ernane, com quem caminha desde
a primeira eleição. Secretários,
vereadores, esportistas, lideranças
caiçaras, todos cumprimentando-o
e querendo saber dos próximos passos,
já que todos sabem que WT está
de olho na cadeira do executivo em
2016, e hoje está de saída da secretaria
de Governo.
“Estou saindo da secretaria
porque é hora de bater perna, é
hora de conversar olho no olho com
as pessoas e eu não preciso de cargo
pra fazer isso, ao contrário, como sou
e sempre fui empresário, acabaria
tendo que prejudicar alguma coisa
ao me dedicar a essa caminhada.
Fora do governo vou ter liberdade
para conversar com todos, as pessoas
vão ter também mais liberdade
comigo. Vou cuidar dos meus empreendimentos,
os postos de gasolina,
e ter tempo para reuniões, visitas,
conversas”, ele explica.
Nos vidros dos carros de alguns
amigos já se vêem adesivos
com os dizeres WT 2016. Na conversa
gravada na varanda da casa (a sala
estava sendo pintada, certo?), percebemos
o clima que cerca o futuro
ex-secretário: até os trabalhadores,
Wagner não perde tempo em
‘cutucar’ o provável futuro adversário:
“Eu tenho história em São Sebastião,
terra onde nasci e me criei,
já fiz muito, em todos os bairros, não
preciso ocupar um cargo pra provar
que estou preparado. Conheço todos
os cantos e mais importante, conheço
as pessoas, sei que elas não querem
um paraquedista, alguém sem experiência,
que vive na aba dos outros”,
dispara.
Quando WTfala do Hospital
da Costa Sul a voz se altera, ele se
emociona: “Minha mãe teve que ir
pro Hospital Santo Amaro, em Guarujá,
porque a estrada estava pior
pro lado do Centro e eu acabei nascendo
por lá. Esse hospital aqui em
frente, que o prefeito está fazendo
sem um tostão de ajuda do Governo
do Estado ou do Governo Federal,
vai acabar com essa história de que
a principal maternidade da Costa Sul
é a Rio-Santos. É a nossa maior luta e
o Ernane me disse há dias que conseguiu
viabilizar recursos pra obra
recomeçar agora em abril”.
Wagner nos conta da história
da família Teixeira, do pioneirismo
do avô que o criou, do aprendizado
atrás do balcão, do mercado, da parada
do Expresso Rodoviário Atlântico
em Boiçucanga. Foi ali, disse, que
aprendeu a gostar de conversar com
as pessoas e, quando o tio José Teixeira
Filho, o Teixeirinha, decidiu não
mais se candidatar à vereança (foi o
mais votado e assumiu a presidência
da Câmara Municipal) Wagner foi
lançado candidato, com apenas 21
anos. Foi o mais votado do município,
quebrou recordes eleitorais, mas
não se elegeu, porque o partido não
alcançou o quociente eleitoral.
“Foi um choque pra mim, não
entendia como aquilo funcionava,
fiquei revoltado. Depois, entendi
como um aprendizado, Deus estava
me preparando, me deixando calejado.
Na eleição seguinte assumi
o mandato, na sequência presidi o
Legislativo e depois, junto com o
Ernane, ganhamos a eleição e a reeleição”.
O momento atual, ele reconhece,
é de dificuldade, mas WT vê
melhores ares à frente: “A briga com
a Petrobras machucou muito, deixou
dificuldades financeiras que só
agora vão ser superadas. Agora você
procure alguma coisa que o Estado
fez pra ajudar. Nada. Tudo que temos
do Estado são obrigações constitucionais,
verbas que ele é obrigado a
repassar. De ‘contribuição voluntária’
mesmo só os 53 radares que recebemos
de presente no nosso trecho
da SP-55. Isso sim é a obra que o Governo
do Estado mandou pra nós...”,
ironiza, deixando a reportagem na
porta de casa, enquanto saía com a
esposa Mayra, preparando-se para a
comemoração do aniversário.



     

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários


Ainda não existem comentários para esta notícia.